Plano de Actividades

Prioridades do mandato

Nos oito anos de mandato da Direcção, a que tenho a honra de presidir, o Plano e Orçamento vêm assentando no triângulo – desejavelmente equilátero – Sustentabilidade/Sobrevivência; Oferta Cultural/Qualidade, Diversidade, Notoriedade bem como Irreversibilidade da Recuperação, de fundo, do Conjunto Monumental – Palácio da Independência, Monumento Nacional emblemático da Memória de Portugal, suas segurança, iluminação e musealização, designadamente através do Centro Interpretativo da Restauração e Guerra da Aclamação (interactivo e multimédia), e do pólo de Lisboa do Museu da Restauração.0

Irreversibilidade da recuperação, segurança, iluminação e musealização

Na sequência dos discursos, proferidos pelo Presidente do Município de Lisboa, nas Comemorações do 1.º de Dezembro, sucessivamente de 2016, 2017 e 2018, atingiu ponto do não retorno a prevista recuperação, segurança, iluminação e musealização do Conjunto Monumental Palácio da Independência.

No seu discurso do 1.º de Dezembro de 2018, o Presidente do Município apontou o ano de 2019 como o do lançamento do concurso público de reabilitação do Palácio da Independência – a primeira desde 1940, há quase 80 anos.

Na sequência do anunciado programa de intervenção municipal, muito desejaríamos que a adjudicação e início da obra pudesse ainda vir a ter lugar em 2019, permitindo – por exemplo, no Dia 1.º de Dezembro do próximo ano – a Sua Excelência o Presidente da República e Presidente de Honra da Sociedade Histórica a inauguração dos trabalhos de reabilitação, de fundo, do Palácio da Independência, com o simultâneo descerramento da lápide comemorativa da projectada, indispensável e urgente recuperação.

Conclusão

Os actuais corpos sociais tudo farão para concluírem com dignidade o seu mandato. Entregarem aos seus sucessores a Sociedade Histórica em equilíbrio orçamental, livre de dívidas e outros encargos. Manterem a qualidade, diversidade e notoriedade da Oferta Cultural. Procurarem os patrocínios necessários à urgente recuperação da Fonte do Jardim e demais património azulejar do Estado e artístico da Sociedade Histórica, bem como a repristinação da Revista Independência – Órgão científico da nossa Instituição – e a constituição do Científico – verdadeiro “Conselho de Sábios” – da Portuguesa Heritage Association.

Dr Alarcão Troni - foto sujeita a alteração
foto sujeita a alteração